Tipografia: conceito e famílias de fontes

O universo do design é vasto e exige conhecimento desde a arte até a tipografia. Mas você sabe o que é tipografia? Nesse artigo explicaremos a base de seu conceito e ainda mostraremos duas grandes “Famílias de Fontes”.

Tipografia é o processo de criação das formas em um texto. Em sua definição, seria o processo artístico e técnico para a produção de tipos, desde a construção dos caracteres até a impressão deles. Está presente em todos os meios de comunicação que usam da linguagem escrita, como por exemplo: livros, jornais, revistas, blogs e muito mais.

Mas em geral, seria o estudo sobre os diferentes estilos de letras, o tom do texto e o layout mais adequado para a eficiência na comunicação, envolvendo o leitor e transpassando o intuito do texto.

A tipografia é um dos pilares do Design Gráfico já que está diretamente ligada a um dos processos da criação, no caso, a diagramação. Mas para entendermos melhor a tipografia, precisamos entender melhor o que a forma: as fontes.

As fontes tipográficas são os estilos de letras, onde os seus caracteres apresentam o mesmo design, detalhe e tamanhos. Dentre elas existem diferentes modelos, alguns deles são: fontes com ou sem serifa, fontes geométricas, fontes condensadas, fontes fantasia, fontes latinas e não latinas, entre outras.

As famílias tipográficas por sua vez, são formadas pela união das variações dessas fontes, desde sua grossura, formas, pesos até a forma em itálico por exemplo.

A criação dessas famílias se dá, muitas vezes, através de um contexto histórico e tais fatores são importantes para definir seu design. Para que entendam um pouco mais sobre isso, falaremos a seguir sobre duas das mais conhecidas famílias de fontes: a Futura e a Gotham.

 

A futura, produzida por Paul Renner e lançada em 1927, é uma das pioneiras na chamada “tipografia moderna” e foi responsável por revolucionar o olhar perante as fontes sem serifa Sua característica principal é a simplicidade e colaborar com a leitura em movimento. É uma das fontes que, desde seu surgimento, foi e ainda é usada para a publicidade.

 

Ganhou visibilidade e esteve presente em grandes projetos, um deles é a chegada do homem a lua. Sem contar com inúmeros filmes e álbuns de música que contam com a participação da Futura para dar leveza e atrair a atenção para suas capas.

 

 

 

A família Gotham também faz parte dos grandes destaques dentre as sem serifa. Criada em 2000 por Tobias Frere-Jones, surge no intuito de se destacar como uma fonte americana e ser uma das “competidoras” com a Futura, já que seguem padrões de design muito parecidos. Usada em diversos projetos e se destacando nas grandes fachadas nos EUA.

 

E aí, gostou das curiosidades que trouxemos aqui? Caso queira saber mais sobre o assunto, tenha uma opinião ou dúvida, deixe nos comentários!

 

 

 

 

6 thoughts to “Tipografia: conceito e famílias de fontes”

    1. Há algum tempo adquiri um livro discorrendo sobre fontes, seus criadores, a evolução, o que existiu quanto à espionagem nos fabricantes de tipos móveis…
      Rico em detalhes mas não disse tudo. Hoje estou sem ele / o dito livro.
      Entendo, procuro entender e relevar…
      Gostei de encontrar suas “pílulas de sabedoria” e serão bem-vindas para meu gáudio…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *